Este Espaço tem por objetivo compartilhar leituras, falar de encontros, educação, eco-feminismo, parto humanizado, cultura de paz, espiritualidade, dança... de movimentos que o Universo faz pelos quais nos encontramos.
Seja bem vindo, a entrada é franca e amiga... mas chegue com o coração aberto, senão, de nada vai adiantar estar aqui!

5 de dez de 2013

Verdades sobre o leite de vaca que quase ninguém sabe



Ao longo dos últimos 40 anos, a indústria de laticínios gastou bilhões de dólares em campanhas publicitárias criadas para hipnotizar e seduzir as pessoas à consumirem seus produtos.

Toda essa publicidade “colorida” é divulgada em hospitais, consultórios, escolas, asilos, jornais e revistas como se fosse uma verdade absoluta, com informações que levam as pessoas erroneamente a pensarem que sem leite elas ficarão doentes. Quem é que nunca ouviu uma pessoa (principalmente de mais idade) dizendo: você precisa tomar leite para ter ossos fortes. Isso é um engano, pois podemos conseguir quantidades altas de cálcio em diversos alimentos que não são de origem animal como gergelim, verduras verde-escuras, algas, feijão preto, tofu entre muitos outros.
leite




Agora vamos aos fatos sobre o leite, que poucas pessoas ouviram por aí:

De acordo com John Pierre, uma vaca produz leite para amamentar o seu filhote por cerca de até um ano depois do nascimento. Esta secreção que contém mais de 60 hormônios e fatores de crescimento, é projetado para leva-lo de 29 kg quando nasce à 317 kg em menos de um ano – uma verdadeira façanha.

Durante a gravidez, o nível de estrogênio vai às alturas (ele chega a ser 30 vezes maior do que quando ela não está carregando um bezerro). Isso significa, que as grandes indústrias da carne e do leite, para aumentarem seus lucros, elevam os níveis hormonais das coitadas das vaquinhas, resultando em um alto teor de gordura no leite, que agrava ainda mais o aumento dos níveis de estrogênio em humanos. Os altos níveis de estrogênio, estão associados entre muitas doenças, ao câncer.

Quando as crianças tomam uma enorme quantidade de leite (na inocência dos pais em pensar que aquilo será maravilhoso para os ossos), eles estão sendo inundados por estrogênio, levando a uma epidemia de puberdade precoce. Fora isso, junto com este estrogênio, vem uma quantidade enorme de antibióticos em cada copo de leite, ai você me pergunta: Como assim, antibióticos? Como as pobres vacas são forçadas a produzirem milhares de litros de leite, as tetas ficam tão pesadas que começam a se arrastar pelo chão, que consequentemente se arrastam por pilhas de estrume, provocando assim infecções (mastite) e por isto, os antibióticos são administrados.

Outra fator muito perigoso é o de crescimento, semelhante à insulina 1 (IGF-1). Quando os seres humanos consomem este hormônio, os níveis de IGF-1 no corpo, também aumentam. Infelizmente, se as células de câncer de mama ou de próstata estão expostos ao IGF-1, elas se proliferam como ervas daninhas, que acabam levando a doença a um ritmo alarmante . Curiosamente, esta informação importantíssima nunca é incluída na embalagem de produtos lácteos.

Pediatras como o Dr. Benjamin Spock (que também é um autor influente e best-seller de livros para os pais) e o Dr. Jay Gordon têm sido fortes defensores de uma dieta livre de produtos lácteos para crianças. O Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável (uma organização sem fins lucrativos), cujos membros incluem 150.000 profissionais de saúde, sempre foramcontrários ao consumo de leite de vaca .

Infelizmente, as escolas de medicina muitas vezes são influenciados pela indústria do agronegócio, onde ela continua também a influenciar consultórios de pediatras com campanhas de marketing projetado para empurrar sua ideologia altamente manipuladora, por isso não é surpreendente que muitos pediatras bem-intencionados estão mal informados sobre os perigos dos produtos lácteos.

Felizmente, muitos pais estão acordando para a verdade sobre estes produtos e buscando alternativas mais saudáveis. Leite de arroz, amêndoas, cânhamo e de coco são boas opções para muitas crianças e adultos. Estes podem ser facilmente utilizados com cereais integrais, aveia, e sopas cremosas. Um ótimo método de ganhar nutrientes tanto para adultos, quanto para crianças, é a utilização de leite de arroz em smoothies, acrescentando frutas, couve, espinafre e outras folhas verdes, criando uma bebida maravilhosa e nutritiva. As folhas verdes são melhores fontes de minerais do que os produtos lácteos. Muitos verdes não contêm apenas quantidades generosas de cálcio, mas outros nutrientes essenciais para a construção da saúde óssea, como magnésio e a vitamina C. Ser fisicamente ativo também é importante para a construção de ossos, e é mais um motivo para tirar as crianças do sofá.

Deve-se pensar muito sobre a real necessidade do seu filho em ingerir laticínios agora que sabe-se tudo isso. Aconselho a procurar um pediatra e/ou nutricionista que possa instruir melhor sobre a substituição do leite.

Cuidar para que as crianças evitem os produtos lácteos é uma das coisas mais amorosas, carinhosas e responsáveis que um pai pode fazer por seus filhos, por eles mesmos, e para a construção de um mundo mais saudável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza gera Gentileza

Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradeço e farei a devida correção. Solicito também que ao extrair qualquer informação desta página seja adicionada à devida autoria ou endereço: http://pedagogiadoencontro.blogspot.com

Grata pelo Encontro.